Pessoas com doenças raras podem ser vítimas de ataque de ódio

No Dia Internacional de Combate ao Discurso de Ódio, 18 de junho, vamos lembrar que ninguém está imune ao discurso de ódio e todos têm um papel para combatê-lo.

O discurso de ódio destrói e despoja as pessoas de sua humanidade. Sofrimentos psicológicos, silenciamentos, preconceitos, desequilíbrios de poder e restrições de expressão são apenas alguns dos impactos desse terrível mal.

Foto de <a href=httpsunsplashcomfairytailphotographyutm source=unsplashutm medium=referralutm content=creditCopyText>Sydney Sims<a> na <a href=httpsunsplashcompt brfotografiasfZ2hMpHIrbIutm source=unsplashutm medium=referralutm content=creditCopyText>Unsplash<a>

O que é discurso de ódio?

A Estratégia e Plano de Ação da ONU sobre Discurso de Ódio refere-se à definição de trabalho como: “qualquer tipo de comunicação na fala, escrita ou comportamento que ataque ou use linguagem pejorativa ou discriminatória com referência a uma pessoa ou grupo com base em quem eles são, em outras palavras, baseadas em sua religião, etnia, nacionalidade, raça, cor, descendência, gênero ou outro fator de identidade.

O discurso de ódio online divide as pessoas e aumenta as tensões e conflitos pré-existentes. Tem como alvo e prejudica comunidades vulneráveis ​​que muitas vezes se sentem abandonadas e impotentes.

“O ódio não pode erradicar o ódio; só o amor pode fazer isso.”

Martin Luther King Jr.

Quais são os efeitos do discurso de ódio?

O discurso de ódio não só causa danos a nível pessoal e pode incitar à violência, mas também é um ataque à inclusão, à diversidade e aos direitos humanos. Ela mina a coesão social e corrói os valores compartilhados, atrasando a paz, a estabilidade, o desenvolvimento sustentável e o cumprimento dos direitos humanos para todos. C

O ódio não é a resposta, mas a educação é a solução. Dar um passo mais perto de sociedades mais seguras, pacíficas e inclusivas começa com a abordagem do discurso de ódio dentro e fora da escola, online e offline.

Como a UNESCO trabalha para combater o discurso de ódio?

A UNESCO coopera com diversos parceiros para abordar e combater o discurso de ódio no âmbito da Estratégia e Plano de Ação das Nações Unidas sobre o Discurso de Ódio, lançado pelo Secretário-Geral da ONU em 2019. Em todos os momentos, a UNESCO enfatiza a importância de um abordagem baseada em direitos humanos para combater o discurso de ódio, inclusive por meio da salvaguarda da liberdade de expressão.

A educação é uma ferramenta poderosa para combater a desinformação, a desinformação e o discurso de ódio. A UNESCO apóia os países para apoiar reguladores e operadores judiciais, desenvolver respostas educacionais e políticas e legislações que promovam, protejam e defendam os direitos humanos internacionais.

Como parte do projeto #SocialMedia4Peace financiado pela União Europeia, a UNESCO capacita organizações da sociedade civil e estabeleceu coalizões nacionais de múltiplas partes interessadas para preencher a lacuna entre as partes interessadas para lidar com o discurso de ódio online.

Como a UNESCO lida com o discurso de ódio online?

A UNESCO tem combatido ativamente o discurso de ódio por meio da educação, capacitação e orientação política. Equipamos os cidadãos com habilidades de alfabetização midiática e informacional para questionar, verificar e desafiar narrativas, fortalecer o estado de direito ao treinar políticos e tomadores de decisão e facilitar diálogos com várias partes interessadas para aprender uns com os outros e encontrar soluções. Também construímos resiliência entre comunidades vulneráveis ​​e promovemos a paz por meio de tecnologias digitais.

Junte-se a nós no combate ao discurso de ódio e na construção de uma sociedade inclusiva baseada no respeito e na compreensão.

Fique atento ao discurso de ódio contra você

Pessoas com doenças raras e/ou com deficiência podem enfrentar discursos de ódio. Infelizmente, algumas pessoas podem expressar preconceito, discriminação e ódio em relação a indivíduos com condições de saúde incomuns. Essas atitudes negativas podem ser motivadas pela falta de compreensão, medo ou ignorância em relação às doenças raras.

É importante lembrar que todas as pessoas, independentemente de suas condições de saúde, merecem respeito, empatia e igualdade. O discurso de ódio pode afetar negativamente a vida dos pacientes e suas famílias, contribuindo para o isolamento social, o estigma e a discriminação.

Promover a conscientização sobre as doenças raras e educar as pessoas sobre a importância da inclusão e do respeito pode ajudar a combater o discurso de ódio. Além disso, é fundamental que as leis e políticas de proteção aos direitos das pessoas com doenças raras sejam implementadas e respeitadas, a fim de garantir uma sociedade mais justa e inclusiva para todos.

Formas de discurso de ódio que os doentes raros podem enfrentar

Ridicularização: Pacientes com doenças raras podem ser alvo de zombaria e piadas cruéis, que os desvalorizam e diminuem sua dignidade.

Estigmatização: Alguns indivíduos podem difundir estereótipos negativos sobre pessoas com doenças raras, retratando-as de forma negativa e desumanizada, o que pode levar à exclusão social e à discriminação.

Ameaças e insultos: Pacientes com doenças raras podem ser alvo de ameaças verbais, abuso verbal e insultos que visam humilhá-los e causar-lhes sofrimento emocional.

Difusão de desinformação: O compartilhamento irresponsável de informações falsas ou distorcidas sobre doenças raras pode levar a estigmas e preconceitos contra os pacientes, afetando sua qualidade de vida e acesso a tratamentos adequados.

Exclusão e isolamento: A discriminação e o discurso de ódio podem levar à exclusão social dos pacientes com doenças raras, resultando em isolamento, solidão e dificuldade em encontrar apoio e compreensão.

É importante ressaltar que esses exemplos não refletem a realidade de todos os casos, mas destacam algumas formas comuns de discurso de ódio que os pacientes com doenças raras podem enfrentar. A conscientização, a educação e o combate à discriminação são essenciais para construir uma sociedade mais inclusiva e respeitosa para todos.

Compartilhe sua experiência!

Se você é um paciente com doença rara ou um cuidador familiar e já enfrentou situações de discurso de ódio, sua história é valiosa e pode fazer a diferença.

Convidamos você a compartilhar sua experiência em nossa sessão de comentários logo abaixo, para aumentar a conscientização sobre o impacto do discurso de ódio na vida das pessoas com doenças raras.

Sua história pode inspirar e encorajar outros pacientes, além de ajudar a sensibilizar o público em geral sobre a importância da empatia, inclusão e respeito.

Compartilhe suas experiências, desafios enfrentados e como você superou ou está lidando com o discurso de ódio.

Vamos juntos combater o discurso de ódio e criar uma comunidade solidária e acolhedora para todos os afetados por doenças raras.

Sua voz importa e pode fazer a diferença na luta contra o discurso de ódio. Junte-se a nós e compartilhe sua história!





Com informações da UNESCO.

O primeiro blog brasileiro a abordar as doenças raras na perspectiva da Agenda 2030 e dos Direitos Humanos!

O primeiro site brasileiro a abordar as doenças raras na perspectiva da Agenda 2030 e dos direitos humanos

error: Este conteúdo é protegido!